Destaques

Resenha do Livro Drácula

Em
13 julho, 2018
Por Nanda Sales
Oi Lebres! Tudo bom com vocês? Espero que sim! A postagem de hoje será sobre uma obra que já li há muito anos (li quando eu tinha 11 anos mais precisamente) e que me influenciou a gostar de ler. Essa obra é Drácula de Bram Stoker é, eu sei que você já leram o títula da postagem, mas adoro esse suspense hahahha. Drácula foi o segundo livro que li sem ser obrigada pela escola (o primeiro foi O Médico e o Monstro) e depois dele vieram vários outros. Sem mais enrolação vamos a resenha dessa clássica obra:
Resumo da Obra: O livro apresenta o diário do jovem assistente de advogado Jonathan Harker, que ao visitar o castelo do Conde Drácula, acaba preso e cercado de mistérios pavorosos. Na obra, Jonathan escreve para sua noiva sobre os acontecimentos horripilantes do castelo, mas tem sua correspondência vigiada pelo conde. Dúvidas e observações aparecem a cada dia em que o jovem passa dentro de sua prisão, como por exemplo, um castelo que não possui criados, um homem com título de conde arrumando a cama de um hospede, homem este que não possui reflexo no espero e parece que nunca dorme. Todas essas observações conduzem o jovem Jonathan Harker a buscar e descobrir os segredos de seu estranho anfitrião.
Título Original: Dracula
Autor: Bram Stoker
Tradução: Doris Goettems
Número de Páginas: 431
Editora: Landmark
Edição: Edição de luxo bilíngue
Reedição: 5ª reedição
Ano: 2014
Idioma: Português e Inglês
Preço: de 22,80 à 37,00
Minha Avaliação: 

O livro é narrado em 1ª pessoa e começa com uma pequena apresentação seguida de 27 capítulos. Essa edição da Landmark também apresenta a obra em inglês ao final do livro, sendo que a versão em inglês é dividida em 2 colunas por cada página. O mesmo mede 23,5 x 16,5 cm, possui letras médias/pequenas e páginas amareladas.

Li essa obra pela primeira vez quando tinha 11 anos em uma edição para leitores jovens. Drácula juntamente com O Médico e o Monstro me fizeram ter amor pela leitura, depois deles eu nunca mais parei de ler. Ano passado, li novamente essa obra e escutei um audiolivro, dessa vez com uma edição completa e fiquei chocada com a qualidade dessa história. O texto em formato de diário, narrado em 1ª pessoa é sem dúvida a minha forma de narrativa preferida, pois é desafiadora e empolgante. É impossível não se colocar no lugar do pobre Jonathan Harker e torcer por ele. Não é atoa que Drácula de Bram Stoker é um clássico mundial, o mesmo é excelente, muito bem escrito e sem dúvida merece estar nessa posição.

Recomendo a leitura desse livro aqueles que gostam de livros de terror/horror, suspense, clássico e em formato de diário. Recomendo também que assistam ao filme "Drácula de Bram Stoker" estrelado por Gary Oldman e Wionano Ryder e ao clássico filme mudo "Nosferatu".

Sobre o Autor
Bram Stoker [Via History Channel]
Abraham "Bram" Stoker foi um escritor, poeta e contista irlandês nascido em 08 de novembro de 1847 em Clontarf, Irlanda e falecido em 20 de abril de 1902 em Londres, Inglaterra. O escritor ficou popularmente conhecido por seu romance gótico Drácula, que mais tarde foi inspiração para diversas obras de outros artistas, incluindo peças de teatro, filmes e etc. Nenhuma obra dele teve tanto destaque quanto Drácula.

Se vocês gostam desse tipo de livro clássico, recomendo outras postagens aqui do blog. Confiram:

Bom pessoal, é isso, espero que tenham gostado. Mas eaí, já leram o livro Drácula de Bram Stoker? Têm vontade de ler? Sim? Não? Comentem aqui em baixo! Vou adorar ler as respostas de vocês.
Continue lendo

Resenha da HQ Um pequeno assassinato

Em
04 julho, 2018
Por Dora Sales

Olá Lebres! A HQ de hoje é outra história maravilhosa do meu autor favorito Alan Moore, publicada em uma edição maravilhosa elaborada pela editora Pipoca e Nanquim. Um pequeno assassinato é uma obra independente de Alan Moore em parceria com o artista argentino Oscar Zárate e que merece a sua atenção! Vamos conhecer melhor essa obra:
Resumo da obra: Timothy Hole é um publicitário bem-sucedido que acaba de aceitar o emprego de sua vida, mas tem um bloqueio criativo quando começa a se sentir perseguido por um estranho menino de cabeços negros, que cisma em aparecer nos piores momentos e parece não ser visto por mais ninguém ao redor de Timothy. Quem é esse garoto? O que ele quer? Timothy deseja encontrar essas respostas e se ver livre da sensação ruim que o acompanha. 
Capa HQ Um pequeno assassinatoRoteiro: Alan Moore 
Desenhos: Oscar Zárate
Cores: Oscar Zárate
Tradução: Marília Toledo
Letras: Arion Wu
Editores: Alexandre Callari, Daniel Lopes, Bruno Zago
Número de páginas: 116
Editora: Pipoca e Nanquim
Preço de capa: de R$ 54,90
Minha Avaliação: 

Um pequeno assassinato foi a primeira graphic novel onde Alan Moore pôde criar uma trama que não envolvesse o gênero de super-heróis, foi publicada em 1991 e se passa em 1989. Nesta obra Timothy reflete, relembra, vive e narra quatro períodos de sua vida: 1954-1964 em Londres; 1964-1979 em Sheffield; 1979-1985 em Londres e 1985-1989 em Nova York.

Ao ser ameaçado pela presença da estranha criança que o persegue, Timothy passa a questionar quem de fato ele é e como ele afeta as pessoas ao seu redor. Trata-se de uma história de cunho psicológico onde os pensamentos, memórias, lembranças e traumas na infância do personagem acaba por nos contar muito sobre ele e também sobre o menino que o persegue.
Imagem da HQ Um pequeno assassinato
Imagem extraída da HQ Um pequeno assassinato
Aqui a arte completa o roteiro de maneira surpreendente. É através dos desenhos de Zárate que nos conectamos com Timothy e sua história, assim como é através dos desenhos que reconhecemos em que momento o personagem está, seja em uma lembrança, um pensamento ou um sonho. Zárate usa lápis, aquarela e diferentes tonalidades de cores para que nós leitores possamos reconhecer cada momento.

Um pequeno assassinato é o tipo de história que deve ser lida mais de uma vez na vida, a cada releitura novas descobertas são feitas pelo leitor e novas referências e dicas dos autores são reconhecidas. Mas e o assassinato? Ele acontece? Pode se dizer que sim, mas não da forma que vocês imaginam.

A edição do Pipoca e Nanquim é novamente muito bem elaborada, trazendo uma textura diferente à capa, sendo idealizada em capa dura, em formato grande (20,5x27,5) e em papel couché fosco

Sobre o Autor
Alan Moore
Alan Moore [Via: Google]
Alan Moore é um escritor de livros e quadrinhos britânico, nascido em 18 de novembro de 1953 em Northampton, Inglaterra. É mundialmente conhecido pelas obras Watchmen, Monstro do Pântano, V de Vingança, Marvelman, Batman A piada mortal e muitas outras obras.

Sobre o Ilustrador
Imagem da HQ Um pequeno assassinato
Imagem extraída da HQ Um pequeno assassinato
Oscar Zárate é um artista e ilustrador de histórias em quadrinhos argentino nascido em 1942. Dentre as obras mais conhecidas de Zárate estão Um pequeno assassinato, Crisis, Otelo de William Shakespeare, Lenin for Beginners e Freud for Beginners.

Mas e aí? Já leram a HQ Um pequeno assassinato? Deixem suas opiniões e dicas de leitura nos comentários e até a próxima resenha!
Continue lendo

Resenha do livro Planeta dos Macacos

Em
27 junho, 2018
Por Dora Sales

Olá Lebres! O livro escolhido para ser resenhado essa semana foi o Planeta dos Macacos, do autor francês Pierre Boulle, nesta edição lindíssima da editora Aleph. O livro foi escrito originalmente em 1963 buscando fazer uma crítica social através do pensamento distópico e acabou se tornando um grande sucesso no meio nerd, gerando franquias famosas no cinema. Vamos conhecer mais essa obra?
Resumo da obra: Um grupo de cientistas decidem explorar o espaço sideral em sua espaçonave e acabam descobrindo no sistema solar um planeta bastante semelhante em oxigeno, água e solo ao planeta Terra, ao qual dão o nome de Soror. Neste planeta Ulysse Mérou e seus companheiros descobrem uma grande inversão de papeis, onde seres humanos são extremamente primitivos e o planeta é na verdade governado por símios de inteligência igual ou superior as suas.   
Capa do livro Planeta dos Macacos
Título original: La planète des singes
Autor: Pierre Boulle
Tradução: André Telles 
Número de páginas: 216
Editora: Aleph
Ano: 2015
Editores e Colaboradores: Giovana Gatti, Raphael Rodrigues
Idioma: Português (Brasil)
Preço: R$ 44,90
Minha Avaliação: 

Deste o ano passado tenho lido várias obras de ficção científica e distopias e acabei me apaixonando pelo gênero e uma das obras que estava mais ansiosa para ler era Planeta dos macacos, de Pierre Boulle. Meu primeiro contato com essa história foi, assim como muita gente, através da nova franquia de filmes, especificamente o primeiro filme: Planeta dos Macacos A origem, e achei sensacional a ideia de mostrar o símio César como sendo dotado de grande inteligência e se igualando aos seres humanos.  Após assistir toda a nova franquia de filmes, resolvi que iria assistir aos 5 filmes da franquia antiga de Planeta dos Macacos, lançados entre 1968 e 1973, no entanto, ao ler o livro percebi o quão diferente ele é em relação aos filmes lançados até agora.

No livro acompanhamos o protagonista Ulysse que acaba sendo capturado e estudado pelos símios. Tudo o que ele deseja é entender como o planeta funciona e voltar para sua terra, mas seu plano é dificultado, pois é o único ser humano com inteligência suficiente para falar e se expressar. Após analisar os símios consegue aprender sua língua e desenvolve uma amizade com a chimpanzé cientista Zira e seu noivo Cornelius, que juntos tentam descobrir uma forma de ajudá-lo.

A civilização símia apresentada por Pierre Boulle é bastante organizada e se assemelha a nossa. Zira explica que existem classes entre os símios dividida entre orangotangos, gorilas e chimpanzés, tendo cada um a sua função na sociedade. Apesar dos chimpanzés serem os cientistas, suas ideias e descobertas devem ser aprovadas pela classe dos orangotangos, logo, para ajudar Ulysse é necessário que ele aprenda a língua símia e conte sua história a todos, mas o fato de ser um ser humano dotado de inteligência e capacidade de fala trás grandes problemas para ele e seus amigos.

O que mais chama a atenção em toda essa história é a crítica social que Pierre Boulle busca fazer. Ele nos apresenta uma inversão de papeis entre o homem e o macaco, onde eles são vistos como seres "superiores" e inteligentes, enquanto o ser humano é visto como selvagem e é usado em inúmeros experimentos científicos, tais como fazemos com outros animais em nosso mundo.

Dentre as críticas feitas por Pierre podemos destacar a discussão sobre como se define o homem, o que diferencia o ser humano dos animais; será que os símios são nossos inimigos? Será que algum dia terão a mesma capacidade de raciocínio que nós temos? Devemos realizar uma mudança em relação a forma como tratamos os animais?

Apesar de ter sido escrito em 1963, o livro apresenta discussões ainda muito atuais e por essa razão recomendo muito a leitura deste livro. O livro é relativamente curto, é dividido em três partes e possui uma narrativa bastante envolvente, além de ter um final surpreendente. E se você também achou genial os filmes, com certeza irá adorar o livro.

Sobre o Autor
Pierre Boulle
Pierre Boulle [Via: Librium]
Pierre Boulle foi um escritor francês nascido em 20 de fevereiro de 1912 em Avignon, frança. Atuou como engenheiro durante a segunda guerra mundial e como agente secreto da inteligência francesa no sudeste asiático. É mundialmente conhecido por sua grande obra distópica Planeta dos Macacos, no entanto, escreveu obras como William Conrad e A ponte sobre o rio Kwai.

Mas e aí? Já leram o livro Planeta dos Macacos? E os filmes, já assistiram? Não se esqueçam de comentar suas opiniões sobre o livro e sobre a resenha nos comentários e até a próxima postagem =D
Continue lendo

Resenha do Livro Sherlock Holmes Vol 1: Romances

Em
13 junho, 2018
Por Dora Sales
Capa do Livro Sherlock Holmes Vol 1: Romances

Olá Lebres! O livro escolhido para a resenha de hoje é um livro que estava encalhado em minha estante durante anos, mas, graças a minha meta de leitura e o meu projeto para concluir toda a estante, foi finalmente lido. Estou falando do primeiro volume da coleção Sherlock Holmes, publicado pela editora Martin Claret, que engloba todos os romances escritor por Arthur Conan Doyle referente ao maior detetive de todos os tempos. Vamos para a resenha:

O livro possui os seguintes romances: Um estudo em vermelho; O signo dos quatro; O cão dos Baskerville e O vale do terror e eu irei fazer uma breve resenha de cada um deles para que vocês possam adentrar a história: 
Em Um estudo em vermelho Dr. Watson procura um colega de quarto e encontra em Sherlock Holmes o parceiro ideal. Neste romance a polícia está diante de um grande enigma, um homem foi encontrado morto sem nenhum ferimento aparente, no entanto, o local está cercado de manchas de sangue e a ajuda de Sherlock Holmes é necessária para resolver este mistério.
Em O signo dos quatro uma moça chamada Mary pede o auxílio de Holmes para desvendar o que houve com seu pai. Quatro anos após a morte do pai, Mary passa a receber pérolas de grande valor de uma pessoa anônima, mas passados seis anos ela recebe um bilhete desta pessoa marcando um encontro. Ela precisa que Holmes e Watson vão com ela até o local e descubram o que a espera.
Em O cão dos Baskerville Holmes e Watson investigam a morte do milionário Sir Charles Baskerville, encontrado morto próximo a sua residência. Diz a lenda que ele havia sido morto por um cão, logo Holmes vai ao local descobrir se a lenda é verdadeira, o que de fato aconteceu e se o herdeiro de Sir Charles corre perigo.
Em O vale do terror Holmes investiga o assassinato do Sr. Douglas, um homem rico e cheio de segredos. Não se sabe ao certo quem cometeu o crime, mas Holmes sabe que o criminoso Professor Moriarty está envolvido no assassinato.
Capa do Livro Sherlock Holmes Vol 1: Romances
Título original: Sherlock Holmes
Autor: Arthur Conan Doyle
Tradução: Vários tradutores 
Número de páginas: 620
Editora: Martin Claret
Ano: 2014
Editores e Colaboradores: Giovana Gatti, Raphael Rodrigues
Idioma: Português (Brasil)
Preço: R$ 79,90
Minha Avaliação: 

Devo confessar que não sou a maior fã de romances, contos e histórias policiais e por essa razão posso não ter me deixado envolver tanto por esses romances. O personagem de Sherlock Holmes, apesar de ser bastante interessante carismático, é ao mesmo tempo extremamente irritante e o fato de sempre ter uma resposta pronta e sempre saber de tudo me incomoda bastante. Acredito que isso acontece pelo fato dos romances serem na verdade escritos do Dr. Watson e ele não sabe como funciona a mente de Holmes e muitas vezes não consegue acompanhar seu raciocínio, logo nós também não.

Outro fato que me incomodou bastante foi que alguns romances mal começam e já tem o seu desfecho concluído e temos que acompanhar outra parte da história para saber exatamente como o crime em questão foi realizado. Particularmente não gosto desta dinâmica e preferia ver mais de Holmes e Watson em ação.

Mas, apesar de não ter amado os romances, recomendo muito a leitura, pois além de ser um dos maiores clássicos da literatura mundial, é considerado o melhor de seu próprio gênero e, portanto, merece toda a atenção e reconhecimento que possui. Pretendo continuar lendo as histórias de Sherlock Holmes, mais especificamente seus contos e espero gostar mais deles =D

Sobre o Autor
Arthur Conan Doyle [Via Wikipédia]
Sir Arthur Conan Doyle foi um escritor e médico britânico nascido em 22 de maio de 1859 na escócia, mundialmente conhecido por escrever romances e contos do personagem detetive Sherlock Holmes, histórias estas que foram consideradas inovações nos romances policiais. Além de escrever Sherlock Holmes, Doyle também trabalhou com histórias de ficção científica, peças, romances, poesias e novelas históricas. 

Mas e aí? Já leram os romances de Sherlock Holmes? Deixem suas opiniões nos comentários e até a próxima postagem!
Continue lendo

Boneca Coraline com Capa de Chuva [NECA]

Em
06 junho, 2018
Por Nanda Sales
Boneca Coraline e Livro Coraline
Oi Lebres! Tudo bom com vocês? Espero que sim! Na postagem de hoje, irei mostrar a vocês, a minha mais nova aquisição, a Boneca Coraline com Capa de Chuva da empresa *NECA! Já falamos de Coraline aqui no Toca da Lebre, mais precisamente da postagem Resenha do Livro Coraline, mas aqui nesta postagem irei focar apenas em apresentar os detalhes da boneca. Estão curiosos? Então prossigam com a leitura:

Boneca Coraline, destaque rosto e livro
A empresa de Actions Figures NECA, já havia lançado uma coleção de bonecas da personagem Coraline em 2008 (ano de lançamento do filme). Nessa coleção, constavam Coralines com diferentes vestimentas, sendo elas: a clássica com capa de chuva amarela, uma com roupa laranja listrada e calça jeans, a com pijama alaranjado com bolinhas e a especial da SDCC 2008 (San Diego Comic Con) com calça preta e blusa estrelada azul escura. Vocês podem visualizar toda essa coleção de Coralines de 2008 clicando aqui.

Boneca Coraline com rosto em destaque
Com o tempo, essa coleção de 2008 acabou esgotando e ficou quase impossível encontrar as bonecas da mesma (principalmente aqui no Brasil). Só então em 2017, a NECA decidiu relançar a boneca Coraline com Capa de Chuva Amarela (as outras eu não sei se serão relançadas também), desta vez com algumas pequenas mudanças. Foi então que consegui FINALMENTE comprar a minha Coraline versão 2017.

Boneca Coraline com capuz de chuva amarelo
Dito isso (aliás, tudo isso), vamos as especificações da bonequinha: Essa Coraline mede 18 cm; não possui articulações propriamente ditas, mas consegue se movimentar por causa da combinação e arames e de plástico emborrachado de seu corpinho; é possível movimentar o sentido de seus olhos retirando seu rosto; tem os cabelos feitos em plástico levemente transparente e azulado e possui como roupas uma capa de chuva amarela, calça jeans e galochas (botas) lamacentas. Em baixo das roupas, não possui nada além de uma estrutura corporal lisa e não possui pés, as galocha (botas) são retirada por completo.

Boneca Coraline, galochas (botas) em destaque
Bom pessoal, é isso. Espero que tenham gostado da postagem. Mas eaí, já assistiram o filme Coraline? Já leram o livro? Possuem algum objeto/bonecos/enfeite de Coraline? Comentem! Vou adorar ler.
Continue lendo

Resenha da HQ Universo Hanna-Barbera Os Flintstones Vol 2

Em
30 maio, 2018
Por Dora Sales
Imagem da HQ Universo Hanna-Barbera Os Flintstones Vol 2

Olá Lebres! A HQ de hoje é a continuação da série da DC Comics: Universo Hanna-Barbera Os Flinstones Vol. 2, trazendo os queridos personagens de Bedrock em novas aventuras. Confiram a resenha do volume:
Resumo da Obra: Bedrock foi invadida por alienígenas que desejam estudar a raça humana, assim como seus hábitos e interesses e fazer anotações sobre eles para seus superiores. Em contrapartida Vilma continua buscando um emprego para se tornar uma grande artista, mas sem sucesso e Fred enfrenta alguns problemas na pedreira e, principalmente, com o senhor Pedregulho, fazendo com ele se questione se a civilização realmente foi uma boa ideia, visto que alguns seres-humanos não sabem conviver entre si e cometem inúmeras injustiças em seus julgamentos.
Capa da HQ Universo Hanna-Barbera Os Flintstones Vol 2Roteiro: Mark Russell
Desenhos: Steve Pugh, Rick Leonardi
Cores: Chris Chuckry
Tradução: Eric Novello, Mariana Naime, Levi Trindade
Letras: Germana Viana 
Editores: Mariana Naime
Número de páginas: 164
Editora: Panini
Volume: 2
Preço de capa: R$ 24,90
Minha Avaliação: 

Assim como o primeiro volume, o Vol. 2 de Os Flintstones é excelente e traz duras críticas as religiões e a forma robótica e cega que a população as segue, além disso, traz alguns questionamentos sobre a exploração no trabalho e os direito trabalhistas que todas as pessoas na sociedade deveriam ter acesso.

Este segundo volume aproxima ainda mais o leitor, pois mostra situações que estão presentes em nossas vidas atualmente. Um exemplo forte desta aproximação com a realidade está na substituição de funcionários na Pedreira. Fred e os demais funcionários da organização são demitidos e substituídos por humanos com inteligência inferior as suas, apresentando um corte de custo considerável ao senhor Pedregulho, pois são menos exigentes que seus antigos operários. Diante desta situação, tudo o que Fred precisa é do apoio de seus familiares e amigos.

Imagem da HQ Universo Hanna-Barbera Os Flintstones Vol 2
Imagem extraída da HQ Os Flintstones Vol. 2

Vilma por sua vez também enfrenta dificuldades de trabalho, no caso a dificuldade de encontrar um e se estabilizar como uma artista ao vender suas pinturas.

Muitas outras questões são abordadas nesta edição e eu realmente recomendo muito a leitura desta série, ela é com certeza a melhor publicação que estou lendo no ano. Com críticas sociais e políticas bem elaboradas, carga dramática e um humor refinado, Os Flinstones é a obra que você deveria estar lendo!

A edição da Panini segue o padrão das edições em formado americano, com capa cartão, lombada quadrada e papel LWC. A série de Os Flintstones ainda está em publicação nos EUA, então podemos esperar os próximos volumes serem publicados pela Panini.
Sobre o Autor
Mark Russell
Mark Russell [Via: Wikipédia]
Mark Russell é um autor, escritor e cartunista de quadrinhos americano nascido em 1971. Mark é conhecido por seus trabalhos em God is disappointed in you, Apocrypha Now e por seu recente trabalho para a DC Comics na série The Flintstones. Em 2017 anunciou o quadrinho da Hanna-Barbera do personagem Snagglepuss, conhecido no Brasil como Leão da Montanha.

Sobre o Ilustrador
Imagem da HQ Universo Hanna-Barbera Os Flintstones Vol 2
Imagem extraída da HQ Os Flintstones Vol. 2
Steve Pugh é um artista de quadrinhos britânico nascido em 24 de março de 1966 em Birmingham. Trabalhou para as editoras DC Comics, Marvel Comics, Dark Horse e para a revista inglesa de ficção cientifica 2000 AD. Atualmente trabalha para a DC Comics na série The Flintstones.

Mas e aí? Já leram Os Flintstones Vol 2? Deixem suas opiniões nos comentários e até a próxima postagem!
Continue lendo

5 perfis de miniatura para seguir no Instagram

Em
23 maio, 2018
Por Nanda Sales
Instagram de Miniaturas
Oi Lebres! Quem não é apaixonado por miniaturas? Eu não sei vocês, mas eu adoro e por conta disso, continuando com a série de postagens de dicas/recomendações de perfis do Instagram, hoje vou apresentar para vocês os 5 melhores perfis de miniaturas (em minha opinião) para seguir no Instagram. Vejam a minha lista:

Continue lendo

© Toca da Lebre – Desenvolvido com por Iunique