Destaques

Resenha da HQ Lendas do Universo DC: Os Novos Titãs Vol.1

Em
12 dezembro, 2018
Por Dora Sales
Imagem da HQ Lendas do Universo DC: Os Novos Titãs Vol.1

Olá Lebres! A HQ de hoje o primeiríssimo volume da série da DC Comics: Lendas do Universo DC Os Novos Titãs, escrito por Marv Wolfman e ilustrado por George Pérez, trazendo a clássica reformulação da equipe titã e a apresentação de personagens consagrados nos dias atuais. Confiram a resenha do volume:
Resumo da Obra: O aclamado desenhista George Pérez – ao lado da lenda dos roteiros Marv Wolfman – põe no papel a mais revolucionária e marcante fase dos Novos Titãs! Acompanhe a reformulação definitiva da equipe, apresentando uma nova dinâmica e elevando o status do grupo dentro do Universo DC a um patamar nunca antes alcançado. Estelar, Ravena, Robin, Moça-Maravilha, Kid Flash, Cyborg e Mutano se reúnem para enfrentar uma ameaça cósmica muito além da compreensão humana, mas sempre ancorando os heróis em um ambiente repleto de dificuldades e anseios do cotidiano de todos os jovens.
Capa da HQ Lendas do Universo DC: Os Novos Titãs Vol.1Roteiro: Marv Wolfman
Desenhos: George Pérez, Dick Giordano
Cores: Adrienne Roy
Tradução: Jotapê Martins
Letras: Denise Araujo 
Editores: Pedro Catarino, Fabiano Denardin
Número de páginas: 180
Editora: Panini
Volume: 1
Preço de capa: R$ 26,90
Minha Avaliação: 

Seguindo a série criada pela Panini Comics para publicar as revistas desenhadas pelo grandioso artista Georgé Pérez, assim como foi feito em Lendas do Universo DC: Mulher Maravilha, a editora relança um clássico da DC Comics que se encontra esgotado aqui no Brasil.

Já publicado aqui anteriormente inclusive em capa dura na coleção Biblioteca DC, o volume apresenta a reformulação da equipe titã com a introdução dos personagens e suas respectivas origens: Estelar, Ravena e Ciborg, hoje muito famosos entre todos os públicos pelo desenho da Cartoon Network Jovens Titãs em Ação.

Na história Ravena entra em contado com Dick Grayson, o Robin, através de pesadelos, tentando não apenas convencê-lo de que uma nova equipe Titã deverá surgir e se unir, como os demais integrantes deste grupo. A partir disso, com o auxilio de Ravena, a equipe começa a se formar, primeiramente com a introdução de Cyborg, um ex-atleta que sofre um terrível acidente, tornando-se parte máquina.

Imagem extraída da HQ Lendas do Universo DC: Os Novos Titãs Vol. 1
Para a surpresa de todos, outra integrante surge vinda de longe, a bela alienígena de Tamaran, Estelar, dotada de grande força e habilidade. Mas apesar dos momentos de alegria e diversão vividos por estes jovens tão diferentes, as coisas não cheiram bem e a turma começa a acreditar que Ravena sabe mais do que aparenta, criando um clima desconforto e de desconfiança entre eles.

Marcado por grandes vilões e por um roteiro primoroso, Os Novos Titãs trás aventuras incríveis que merecem ser lidas por qualquer fã da 9ª arte, não é a toa que este é apenas um dos meus quadrinhos favoritos da vida, não apenas pelos itens que citei, mas pelo desenvolvimento fantástico dos personagens, principalmente os três novos integrantes.

A edição da Panini segue o padrão das edições em formado americano, com capa cartão, lombada quadrada e papel Offset. Segue também o mesmo design das séries já publicadas na coleção Lendas do Universo DC, mudando somente a cor principal.

Esta edição reúne as histórias publicadas em The New Teen Titans 1-6 e DC Comics Presents 26

  • Onde os pesadelos começan - DC Comics Presents 26
  • O nascimento dos titãs - The New Teen Titans 1
  • Hoje... O exterminador - The New Teen Titans 2
  • O quinteto mortal - The New Teen Titans 3
  • Contra todos os amigos - The New Teen Titans 4
  • Trigon está vivo - The New Teen Titans 5
  • A morte derradeira - The New Teen Titans 6
Sobre o Autor
Marv Wolfman
Marv Wolfman [Via: Wikipédia]
Marv Wolfman é um roteirista de histórias em quadrinhos americano, nascido em 13 de maio de 1946 em New York. Sua carreira alcançou o auge na década de 1980, quando criou os Omega Men para a DC Comics e Blade e Nova para a Marvel Comics. Em 1985 foi o escritor da mega série Crise das Infinitas Terras, desenhada por George Perez, e que reformulou o universo DC. Ao lado do mesmo desenhista seria o responsável pelo maior sucesso da DC nos anos seguintes, Os Novos Titãs, introduzindo personagens importantes como Cyborg, Estelar, Ravena e Mutano além do supervilão Slade, atualmente famosos por estrelarem um desenho animado em estilo anime.

Sobre o Ilustrador
George Pérez
George Pérez [Via: Wikipédia]
George Pérez é um desenhista americano, nascido em 9 de julho de 1954, conhecido por seu trabalho para as editoras DC e Marvel. É admirado pelos leitores de quadrinhos pelo seu estilo de ilustração limpo e extremamente detalhado. Foi conquistando renome no começo dos anos 80 quando desenhou Os Vingadores para a Marvel Comics. Desenhou também as revistas Quarteto Fantástico e Liga da Justiça. Atingiu o auge da carreira ao fazer a parceria com Marv Wolfman para a série Os Novos Titãs, reformulando a antiga equipe da Turma Titã. Com o sucesso passou para um projeto mais pessoal, desenvolvendo uma série de histórias da Mulher Maravilha, mas seu grande trabalho, considerado um clássico do gênero de super-heróis, foi a série Crise nas Infinitas Terras, que reorganizou a conturbada cronologia do Universo DC.

Se você gostou desta resenha irá gostar também de:


Mas e aí? Já leram Os Novos Titãs Vol.1 ou algum quadrinho da coleção Lendas do Universo DC? Deixem suas opiniões nos comentários e até a próxima postagem!
Continue lendo

Resenha do Livro A casa da floresta

Em
05 dezembro, 2018
Por Dora Sales
Imagem do Livro A casa da floresta

Olá Lebres! Após publicar aqui a resenha do aclamado romance As Brumas de Avalon, hoje estou aqui para apresentar a resenha do segundo livro do chamado Ciclo de Avalon: A casa da floresta. Apesar de ser o segundo livro do ciclo na ordem de publicação, tal obra se passa séculos antes de As Brumas de Avalon e apresenta personagens novos para o leitor, tendo em comum a religião antiga e seus seguidores. Vamos ler um pouco mais sobre a obra de Marion Zimmer Bradley?
Resumo da Obra: Nos primeiros anos do Império Romano nos territórios da Britânia, os druidas e sua religião seguem duramente massacrados e perseguidos pelas legiões de César. Após a destruição da Casa das Mulheres na sagrada ilha de Mona, as sacerdotisas, que juraram proteger os ritos ancestrais de sabedoria, cura e magia consagrados à Deusa, buscam refúgio em um novo santuário: a Casa da Floresta. Mas o amor não obedece às leis dos homens, e Eilan, futura grã-sacerdotisa, se apaixona por um oficial do exército romano. E no coração desse romance proibido, entre o chamado e a paixão, entre a delicadeza do cisne e a força da águia, está a história da formação da lendária ilha de Avalon.
Capa do Livro A casa da floresta
Título original: The Forest House
Autor: Marion Zimmer Bradley
Tradutor: Marina Della Valle
Número de páginas: 416
Editora: Planeta
Edição: 1ª edição
Ano: 2018
Idioma: Português (Brasil)
Preço: R$ 75,90
Minha Avaliação: ★★

Como eu havia dito na resenha de As Brumas de Avalon, assim que soube que A Casa da Floresta seria publicado pela Editora Planeta, corri para comprar a edição de luxo do primeiro livro do Ciclo e estava doida para poder finalmente ler A casa da floresta e saber um pouco mais sobre esse universo criado pela autora.

A história sobre o Império Romano na Britânia logo chamou muito a minha atenção, não apenas pelo contexto histórico apresentado, mas também pela volta da religião antiga Celta e a introdução da religião cristã em Roma. A obra tem inspiração na Ópera italiana Norma do compositor Vincenzo Bellini, onde a história trágica de amor proibido entre a alta-sacerdotista Norma e o centurião romano Polione é retratada.

O mesmo ocorre em A casa da floresta. A jovem bretã Eilan, filha e neta de Druidas, acaba por se apaixonar por Gaius, um soldado romano filho do prefeito que é abrigado pela família da moça após um grave ferimento. O romance dos dois, no entanto, é inaceitável, afinal tal relação traria consequências negativas para o povo e a família de ambos, sendo o pedido de casamento negado pelos pais dos dois.

Com o passar dos anos Eilan decide entregar seu amor à Deusa, tornando-se candidata a sacerdotista, sendo, portanto, obrigada a manter-se virtuosa. Gaius por sua vez, vai para o campo de batalha, guerreando inclusive com o povo de sua amada. Mas apesar da exigência de se manterem separados, os dois se reencontram e Eilan acaba ficando grávida.

Sendo separados novamente, nós então acompanhamos o destino de Eilan como reclusa ao esconder sua gravidez das demais sacerdotistas e de Gaius, em suas inúmeras batalhas e sendo obrigado a se casar com uma mulher romana para satisfazer os desejos do pai.

A obra apesar de não ser melhor que As Brumas de Avalon, que chama bastante a atenção pelos personagens já conhecidos pelo público, A casa da floresta trás a mesma escrita encantadora e interessante que já vimos pelas mãos da autora, apresenta personagens muito bem desenvolvidos e trás discussões maravilhosas tanto sobre a religião antiga, quanto sobre a religião cristã.

A Editora Planeta repete o lindo acabamento já visto em As Brumas de Avalon. A edição é em capa dura, com relevo no título, páginas amareladas, medindo aproximadamente 23 cm x 16 cm e possuindo cerca de 410 páginas. Com esta publicação e seu sucesso, esperamos que a editora continue publicando o Ciclo de Avalon por aqui.

Sobre a Autora
Marion Zimmer Bradley
Marion Zimmer Bradley [Via: Wikipédia]
Marion Zimmer Bradley foi uma escritora de livros de fantasia e ficção americana, nascida em 3 de junho de 1930 em Albany, EUA. Ficou mundialmente famosa graças ao best-seller As Brumas de Avalon, o que lhe permitiu dar continuidade ao universo através da série O ciclo de Avalon.

Mas e aí? Já leram A casa da floresta? Estão ansiosos para ler outros livros do Ciclo de Avalon? Não se esqueçam de deixar suas opiniões e dicas nos comentários e até a próxima postagem!
Continue lendo

5 Quadrinhos Que Você Precisa Ler

Em
28 novembro, 2018
Por Nanda Sales
Oi Lebres! Tudo bom com vocês? Espero que sim! Hoje estou aqui para recomendar alguns quadrinhos para vocês, mas precisamente, recomendar 5 quadrinhos que vocês não podem deixar de ler. 3 desses quadrinhos são clássicos e dois deles apresentam histórias incríveis e muitos ensinamentos. Alguns desses já possuem resenhas aqui no blog também, vocês podem conferir. Sem mais delongas, vamos ao post:

V de Vingança
V de Vingança é um clássico quadrinho distópico, que muitos de vocês já devem conhecer (ou ter ouvido falar) por causa do filme estrelado pela fabulosa atriz Natalie Portman (interpretando Evey) e o consagrado ator Hugo Weaving (interpretando o V). Esse quadrinho debate sobre assuntos bastante fortes como totalitarismo, anarquia, vingança, conservadorismo e censura. Com toda a certeza (pelo menos eu espero) ele irá agradar muitos de vocês! Em breve resenha de V de Vingança no blog.
Resumo da Obra: O quadrinho apresenta o futuro distópico de 1997 em uma realidade onde um governo totalitário ascende ao poder. Acompanhamos então o personagem nomeado simplesmente de V, uma espécie de vigilante mascarado que é retratado pelo governo e pela população como um terrorista, mas ao conhecer a personagem Evey consegue finalmente apresentar a sua visão sobre o governo atual para alguém, conseguindo convencer a jovem a segui-lo em sua jornada para destruir o governo e seus governantes.

Maus
Maus é um fantástico quadrinho que trata de forma sutil e bem delicada o Holocausto. O autor usa o quadrinho para contar a história do próprio pai e seu passado sofrido utilizando de uma brilhante analogia, onde cada um dos grupos da época são caracterizados por diferentes animais, como por exemplo: ratos como judeus, gatos como nazistas, cachorros como americanos, porcos como poloneses e etc. Em um época como agora, onde acontecimentos como o Holocausto estão cada vez mais banalizados, esse quadrinho se faz necessário para que nunca mais algo tão cruel seja repetido na história. O quadrinho Maus já possui resenha aqui no Toca da Lebre, clique aqui para conferir.
Resumo da Obra: Em Maus acompanhamos o autor Art Spiegelman contando a história de luta e sobrevivência de seu pai, um polonês judeu que conseguiu sobreviver ao Holocausto. Na história são utilizadas figuras animalescas (antropomorfismo) para representar casa grupo étnico sendo os judeus representados por ratos, alemães por gatos, franceses por sapos, americanos por cães, poloneses por porcos e etc. O quadrinho apresenta as dificuldades enfrentadas pelo pai de Artie durante a guerra, o preconceito em relação aos judeus e as atrocidades cometidas pelos nazistas, principalmente nos campos de concentração.

Watchmen
O quadrinho Watchmen está aqui para desmascarar heróis! Será que eles de fato existem? Nele é apresentado uma sociedade onde heróis estão banidos, alguns se juntam para continuar seu serviço e relembrar os velhos tempos, mas precisam lidar com fantasmas do passado, onde abusaram de seus status para cometer terríveis delitos, como assassinato em massa a mando do governo e até estupro. Se eles são os heróis e estão vigilando a cidade, quem está vigiando-os? É exatamente isso que será debatido nessa HQ.
Resumo da Obra: O ano é 1985. Os Estados Unidos são uma nação totalitária e fechada, isolada do resto do mundo. A presença de arsenais nucleares e dos chamados super-heróis mantém um certo equilíbrio entre as forças do planeta... até que o relógio do fim do mundo começa a marchar para a meia-noite e a raça humana para um abismo sem-fim. A sombria e inigualável trama tem início com ilusões paranoicas do supostamente insano herói Rorschach, um dos Watchmen que patrulhavam os EUA décadas atrás. Mas ele estaria realmente insano ou na verdade teria descoberto uma sórdida conspiração para assassinar super-heróis -- ou, pior ainda, milhões de civis inocentes? Fugindo da lei, Rorschach junta-se a ex-companheiros do passado em uma desesperada tentativa de salvar suas próprias vidas... e o que acabam descobrindo, além de abalar suas estruturas, poderá alterar o próprio destino da Terra!

O Corvo
O corvo é quase um ode ao sofrimento e ao renascimento, visto que sua história trata exatamente de perdas e recomeço. Movido por vingança, Eric renasce dos mortos com o objetivo de vingar a morte de sua noiva e essa vingança nos mostra até onde o amor por alguém pode nos levar. Já postei sobre o quadrinho O Corvo aqui no blog, vocês podem conferir a resenha completa clicando aqui e podem conferir a comparação das edições que foram lançadas dele clicando aqui
Resumo da Obra: O quadrinho "O Corvo" narra a história de Eric Draven, um roqueiro que presencia sua própria morte e a morte de sua noiva Shelly, pelas mãos de membros de gangues da cidade de Detroit. O rapaz é baleado na cabeça e sua noiva é estuprada e decapitada pelos criminosos. Um ano se passa e Eric retorna em busca de vingança, sua missão é matar todos os membros da gangue, para em fim livrar sua alma e a alma de sua noiva em busca da tão sonhada paz.

Pílulas Azuis
Pílulas Azuis é a hq mais amorzinho aqui da lista, apesar dela tratar de um assunto pesado, AIDS. Nela vemos como duas pessoas conseguem conciliar suas vidas sendo uma delas soropositivo. Pílulas Azuis também já foi resenhado aqui no blog, vocês podem conferir a resenha completa clicando aqui.
Resumo da Obra: A HQ conta a história de como Frederik conheceu sua companheira e atual esposa Cati em uma festa, o primeiro encontro dos dois, o momento em que Cati conta que é soropositiva, o inicio do relacionamento deles e a relação que eles tem com a doença. Cati possui um filho pequeno de outro relacionamento e que também tem a doença e a HQ procura mostrar a preocupação e o carinho que Fred tem em relação ao menino, se sentindo muito mal ao vê-lo sempre doente e em uma cama de hospital. Além dos relacionamentos, a HQ foca nas discussões em relação a AIDS e sobre o preconceito que os portadores sofrem pela sociedade e a insegurança dos mesmos em relação a esse preconceito.

Bom pessoal, é isso. Espero que tenham gostado! Mas eaí, já ouviram falar desses quadrinhos? já leram algum deles? Ficaram curiosos para ler? Comentem! Vou adorar ler as respostas de vocês.
Continue lendo

Resenha do Livro As Brumas de Avalon

Em
21 novembro, 2018
Por Dora Sales
Imagem do Livro As Brumas de Avalon

Olá Lebres! A resenha de hoje é de um dos meus livros favoritos da vida, estou falando do grande clássico da fantasia As brumas de Avalon, da autora Marion Zimmer Bradley, publicado em 1979, buscando apresentar as lendas Arturianas de uma forma diferente e através das personagens femininas. Vamos conhecer melhor a obra:
Resumo da Obra: Grande clássico da literatura mundial retrata a mítica história do rei Artur a partir da perspectiva de mulheres mágicas e poderosas. Por séculos, as lendas arturianas povoaram o imaginário de leitores de todo o mundo. Pelos olhos de mulheres complexas e poderosas como Morgana das Fadas, Viviane, a Senhora do Lago, Igraine, Morgause e Gwenhwyfar, os reinos de Camelot e de Avalon são revisitados neste clássico, repleto de magia, sensibilidade e intrigas. Um romance épico, com violência, ambição, lealdades dolorosas e feitiços assombrosos. 
Capa do Livro As Brumas de Avalon
Título original: The Mists of Avalon
Autor: Marion Zimmer Bradley
Tradutor: Marina Della Valle
Número de páginas: 968
Editora: Planeta
Edição: 1ª edição
Ano: 2017
Idioma: Português (Brasil)
Preço: R$ 119,90
Minha Avaliação: ★★

Li As Brumas de Avalon pela primeira vez aos 20 anos (nem faz tanto tempo assim haha) depois de descobrir que era um dos livros favoritos da minha mãe e que ela havia lido na minha idade, e simplesmente me apaixonei, não só pelo livro, mas pelas lendas Arturianas no geral, inclusive já li vários livros do tipo como Rei Arthur e os cavaleiros da távola redonda; Os três grandes cavaleiros da távola redonda; e a série de 5 livros de O único e eterno rei (resenhados lá no Top Buzz).

Assim que soube que a editora Planeta tinha planos de publicar o livro A casa da floresta, o segundo livro do Ciclo de Avalon, também escrito por Marion Zimmer Bradley, corri para comprar a versão em capa dura de As Brumas de Avalon da editora, apesar de já possuir na versão da editora Imago, em 4 livros.

Na obra é retratada a lenda do Rei Arthur, mas a partir da perspectiva das personagens femininas que estão presentes na história, dentre elas: Morgana, irmã mais velha de Arthur; Viviane, a dama/senhora do lago; Igraine, mãe de Arthur e Morgana; Morgause, a tia dos dois e Gwenhwyfar (Guinevere), a esposa do rei.

A obra é dividida em 4 partes: A senhora da magia; A grande rainha; O gamo-rei e O prisioneiro da árvore. A primeira parte mostra o cotidiano de Igraine, sendo a Duquesa da Cornualha e já possuindo Morgana como filha, mas uma profecia feita por sua irmã Viviane, faz com que ela se case com o bárbaro Uther Pendragon e com ele tenha o futuro Rei Arthur. E é a partir desta profecia que a trama irá se arranjar, separando os irmãos Morgana e Arthur de sua mãe e dando um destino e visão de vida completamente diferentes para as duas crianças, que posteriormente irão se reencontrar. 

Com muita magia, misticismo e intrigas, a autora apresenta um enredo muito bem elaborado, onde são desenvolvidos não apenas os personagens, mas também o contexto histórico da época e as religiões seguidas pelos protagonistas, sendo Morgana e Viviane as principais representantes da religião de Avalon, enquanto Gwenhwyfar representa a religião Católica, influenciando seu marido Arthur a fazer parte da mesma. Além disso, também é mostrado o triangulo amoroso entre o Rei, a Rainha e o nobre Cavaleiro Lancelot de forma bastante polêmica. 

A edição da editora Planeta é lindíssima, é em capa dura, com relevo no título, páginas amareladas, medindo aproximadamente 23 cm x 16 cm e possuindo cerca de 970 páginas. As brumas de Avalon não é um grande clássico por acaso, e é por isso que ainda possui tantos fãs, logo recomendo a leitura a todos os leitores do blog.

Sobre a Autora
Marion Zimmer Bradley
Marion Zimmer Bradley [Via: Wikipédia]
Marion Zimmer Bradley foi uma escritora de livros de fantasia e ficção americana, nascida em 3 de junho de 1930 em Albany, EUA. Ficou mundialmente famosa graças ao best-seller As Brumas de Avalon, o que lhe permitiu dar continuidade ao universo através da série O ciclo de Avalon.

Mas e aí? Já leram As brumas de Avalon? Estão ansiosos para ler outros livros do Ciclo de Avalon? Não se esqueçam de deixar suas opiniões e dicas nos comentários e até a próxima postagem!
Continue lendo

Resenha da HQ Persépolis

Em
14 novembro, 2018
Por Dora Sales
Imagem da HQ Persépolis

Olá Lebres! A HQ de hoje é a fantástica obra Persépolis, da autora iraniana Marjane Satrapi. Dividido inicialmente em quatro edições e compilada pela editora Quadrinhos da Cia em um único volume, a obra trata de uma autobiografia onde lemos sua história deste a infância até a vida adulta. Vamos conhecer um pouco mais sobre a obra e sua autora?
Resumo da Obra: Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita - apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa. Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares. Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama - e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar.
Capa da HQ PersépolisTítulo Original: Persepolis 
Autor: Marjane Satrapi
Tradução: Paulo Werneck
Número de páginas: 352
Ano: 2007
Edição:
Editora: Quadrinhos na Cia
Idioma: Português (Brasil)
Preço de capa: de R$ 54,90
Minha Avaliação: 


Já faz anos que tenho uma enorme vontade de adquirir e finalmente ler Persépolis. Sempre ouvi falar muito bem desta história em quadrinhos, mas acabava deixando para comprar numa próxima oportunidade e assim o tempo foi passando. Finalmente essa oportunidade de ler a obra chegou e com ela uma grande surpresa positiva. O quadrinho é incrível! Mas ei, vamos por partes.

Com muito humor e criatividade Marjane nos conta muito sobre si através de uma narrativa em primeira pessoa e através de desenhos, apesar de simples, muito divertidos. Os costumes e tradições iranianas são aqui expostas, assim como o cotidiano de Marjane deste os 10 anos até sua vida adulta como uma grande ilustradora.

A narrativa acontece no inicio da revolução islâmica, que a jovem Marjane acaba por testemunhar. Tendo nascido em uma família com boas condições, durante a revolução é enviada, ainda adolescente, à Austria para estudar, tendo que deixar sua família e amigos para trás.

A partir destas tramas Marjane utiliza sua obra para fazer duras críticas ao governo, a política e a sociedade em que está inserida, questionando os comportamentos e costumes do local onde vive no Irã e, posteriormente, fazendo comparações com os demais países por onde passa ao longo de sua vida.

Imagem da HQ Persépolis
Imagem extraída da HQ Persépolis 
Um maravilhoso quadrinho que eu sinceramente espero que você não demore para ler, como eu fiz, pois vale muito a pena. Apesar de tratar de questões mais sérias, a autora faz isso de forma bastante leve, divertida e, principalmente, fazendo com que o leitor se identifique durante a leitura.

Em minha humilde opinião Persépolis está no mesmo nível de qualidade de outra HQ da Quadrinhos na Cia, a autobiografia Maus, também resenhada aqui no blog. Ambas tratam de períodos históricos muito importantes para os protagonistas e trás grandes lições para a vida dos leitores.

A edição da editora Quadrinhos na Cia, selo do Grupo Companhia das Letras é em capa cartão em brochura com lombada quadrada e mede 24 cm e 16 cm. Este volume possui todas as edições publicadas por Marjane em Persépolis.

Sobre a Autora
Marjane Satrapi
Marjane Satrapi [Via: The Golf Club]
Marjane Satrapi, nome artístico de Marjane Ebihamis é uma romancista gráfica, ilustradora, cineasta e escritora franco-iraniana, nascida em 22 de novembro de 1969 em Rasht, Irã e naturalizada francesa. Ficou conhecida como a primeira iraniana a escrever história em quadrinhos. Sua principal obra é Persépolis, cuja adaptação animada, que ela co-dirigiu junto a Vincent Paronnaud, foi indicada para o Óscar.

Mas e aí? Já leram Persépolis? O que acharam? Deixem suas opiniões sobre o quadrinhos nos comentários e até a próxima postagem!
Continue lendo

Resenha do Livro O homem de areia

Em
07 novembro, 2018
Por Dora Sales
Imagem do Livro O homem de areia

Olá Lebres! A resenha de hoje é de um livro que recebi do Grupo Companhia das Letras, através do selo da editora Alfaguara. Trata-se do livro O homem de areia, da série policial do investigador Joona Linna, escrito por Lars Kepler, o pseudônimo de um casal de suecos. Vamos conhecer um pouco sobre a obra?
Resumo da obra: Em uma noite extremamente fria em Estocolmo, um homem aparece sozinho e desnorteado em uma ponte. Quando ele é encontrado, a hipotermia já toma conta de seu corpo. Ao ser levado para um hospital, descobre-se que há sete anos ele foi declarado morto. Seu assassinato foi creditado ao serial killer Jurek Walter, que foi preso há alguns anos pelo detetive Joona Linna e sentenciado a prisão perpétua em uma ala psiquiátrica. Enquanto investiga o aparecimento desse homem e tenta entender onde ele esteve durante os últimos sete anos, evidências desconhecidas começam a aparecer e influenciar o caso que já estava arquivado.
Capa do Livro O homem de areia
Título original: The Sandman
Autor: Lars Kepler
Tradutor: Guilherme Miranda
Número de páginas: 456
Editora: Alfaguara (Companhia das Letras)
Edição: 1ª edição
Ano: 2018
Idioma: Português (Brasil)
Preço: R$ 54,90
Minha Avaliação: ★★


Então, como dito na introdução deste post, O homem de areia faz parte de uma série policial cujo protagonista é o investigador Joona Linna. A série, que lá fora já está no seu 7º livro, apresenta os seguintes títulos: The Hypnotist (O hipnotista); The Nightmare (O pesadelo); The Fire Witness; The Sandman (O homem de areia); Stalker; The Rabbit Hunter e Lazarus. No entanto, apenas o 1º, 2º e o 4º foram publicados aqui no brasil, sendo os dois primeiros pela editora Intrínseca e o quarto pela editora Alfaguara.

Infelizmente, não tive a oportunidade de ler os livros que vieram antes de O homem de areia, até porque um deles não saiu aqui. Mas felizmente, em cada livro acompanhamos o investigador Joona Linna em um caso diferente, logo, é possível ler O homem de areia sem ter lido os livros anteriores e entender perfeitamente a história apresentada.

Em O homem de areia, Mikael Kohler-Frost, um jovem rapaz que foi dado como morto há anos, reaparece em uma ponte, onde se encontra ferido e com hipotermia. Ao interrogá-lo, Linna não consegue obter nenhuma informação do paradeiro do rapaz até então, nem como conseguiu escapar, somente que sua irmã permanece viva e estava dividindo o cativeiro com ele, até que os dois se separaram.

O responsável pelo desaparecimento de Mikael, sua irmã e outras pessoas, o Serial Killer Jurek Walter, no entanto se encontra há mais de dez anos preso em uma ala psiquiátrica de segurança máxima, e portanto não pode ser o responsável pelo aparecimento de Mikael, o que deixa o investigador ainda mais confuso em relação ao caso.

Para tentar solucionar o caso a equipe investigativa coloca uma agente disfarçada no hospital psiquiátrico para conseguir obter informações de Walter sobre seus crimes e sobre o local onde a irmã de Mikael se encontra. Então acompanhamos Saga, a agente infiltrada, no hospital psiquiátrico, os bizarros pacientes que lá se encontram e a forma como o assassino Jurek Walter faz a cabeça de todos para que fazem o que ele deseja.

Além disso, algumas informações sobre a vida pessoal do investigador Joona Linna são transmitidas para nós, leitores. Um thriller envolvente, que mexe com a cabeça do leitor durante toda a leitura, com bastante suspense, ideal para os leitores apaixonados por histórias policiais. O único ponto negativo que destaco é que em alguns momentos a trama cai em clichês que poderiam ser substituídos por outras formas de resolução.

A edição da Editora Alfaguara é em brochura, com lombada quadrada, possui páginas amareladas e mede aproximadamente 23 cm x 14 cm e possui ao todo 456 páginas

Sobre os Autores
Lars Kepler
Lars Kepler: Alexandra Ahndoril e Alexander Ahndoril

Lars Kepler
é o pseudônimo de Alexander Ahndoril e Alexandra Coelho Ahndoril, um casal sueco que escreve em conjunto. Alexander Ahndoril, nascido em 1967, tem vasta obra publicada sobre o seu próprio nome, com destaque para um romance biográfico do realizador Ingmar Bergman. Alexandra Coelho Ahndoril, nascida em 1966 de mãe portuguesa, também escreve com a sua assinatura e recebeu um prémio pelo seu livro de estreia. O seu estilo de livros é o romance policial. São mais conhecidos pela série de livros do inspetor Joona Linna, sendo o primeiro O Hipnotista e o segundo O Executor.

Mas e aí? Já leram O homem de areia ou algum livro dos autores? O que acharam? Não se esqueçam de deixar suas opiniões e dicas nos comentários e até a próxima postagem. 
Continue lendo

Resenha da HQ Minha Madrinha Bruxa

Em
31 outubro, 2018
Por Nanda Sales
HQ Minha Madrinha Bruxa
Oi Lebres! Tudo bom com vocês? Espero que sim! Para comemorar o Halloween (data que eu tenho muito carinho) venho a vocês apresentar o belíssimo quadrinho Minha Madrinha Bruxa (adquirido na Bienal do Livro de São Paulo desse ano). Esse quadrinho é muito popular nos EUA (tenho virado até filme), mas muito pouco conhecido por aqui, e como sua temática gira em torno do feriado assustador, achei que seria adequado falar um pouco sobre ele por aqui. Dito isso, sem mais delongas, vamos direto a resenha:
Resumo da Obra: "A história gira em torno de Hanna Marie, uma garotinha medrosa que sai pela primeira vez para pegar doces no Halloween, fazendo o famoso gostosuras e travessuras. Como é muito nova, sua mãe pede que ela vá com seu primo mais velho Jimmy e seus amigos, porém o primo não fica nada satisfeito, acha que Hanna irá atrapalhar sua caçada por doces, por essa razão convence seus amigos a fazer travessuras com Hanna para que ela se assuste e volte para casa, porém magicamente surge a Madrinha Bruxa da garotinha e se junta a ela para dar uma lição em Jimmy. Depois desse episódio, Hanna passa a amar o Halloween, perde o medo de monstros e passa a viver aventuras com sua Madrinha Bruxa em todo o feriado."
Capa da HQ Minha Madrinha BruxaTítulo Original: Scary Godmother
Roteiro e Desenhos: Jill Thompson
Tradução: Luiz Lins
Diretores: Gilvan Mendes Jr e Maria Juliana da Silva
Ano: 2012
Número de páginas: 207
Editora: NewPOP Editora
Volume: 1º Volume
Preços: de 69,90 à 39,90
Minha Avaliação: ★★★★☆ 

Esse quadrinho possui capa cartão maleável com um leve relevo nos textos e ilustrações, seu conteúdo é apresentado em folhas em papel couché. Dentro do quadrinho consta um pequeno sumário apresentando as 5 histórias que completam a obra, sendo elas: Minha Madrinha Bruxa, A Vingança de Jimmy, O Encontro Misterioso, A Gripe do Susto e Chá para Orson e também um capitulo chamado Ainda Mais Arte, onde a autora conta um pouco sobre suas ilustrações. A hq foi feita em formato grande medindo 27,6 x 21,5 cm.

Minha Madrinha Bruxa é o típico quadrinho infantil que apresenta a fantasia das maneiras mais delicadamente aconchegantes (será que é possível entender isso?), é como se o conteúdo apresentado nessa história despertasse uma certa nostalgia no leitor, como se ele fosse parte da sessão da tarde, e é fácil explicar isso, uma vez que todos nós (ou quase) assistimos filmes como Abracadabra, O Estranho Mundo de Jack, A Maldição do Halloween, HalloweenTown A Cidade do Halloween (redundante), todas essas histórias de bruxas já fazem parte da nossa cultura e já despertaram o nosso carinho, por isso Minha Madrinha Bruxa parece tão especialmente nostálgico, já somos receptivos a essa obra antes de lê-la.
Detalhe da HQ Minha Madrinha Bruxa
A história é uma mistura de todos (ou quase) os filmes citados anteriormente, Hanna Marie é a garotinha medrosa que sai para pegar doces pela primeira vez (semelhante a Dani de Abracadabra), em uma situação de tristeza surge a Madrinha Bruxa para ajudar a garota (o que me lembrou sinceramente Cinderella), depois de se tornarem amigas, Hanna passa a ajudar a Madrinha todos os anos a preparar o Halloween, pois na cidade onde a Bruxa vive, chamado Lado Assustador, eles esperam o ano todo apenas para essa momento e sem a ajuda da cidade, o Halloween não ocorre (essa informação não há como negar, é puramente de O Estranho Mundo de Jack). Apesar de todos esse pseudo clichês, a história de Minha Madrinha Bruxa consegue ser maravilhosa a sua maneira e consegue deixar que a lê com o coração mais leve e com uma vontade imensa de comemorar o Halloween também (com tudo que tem direito).

Recomendo essa obra para crianças, pois tenho certeza que elas irão adorar e quando crescerem se lembraram dela com muito carinho e para aqueles que assim como eu, amam contos infantis.

Sobre o Autor
Jill Thompson
Jill Thompson [Via: NewCity Lit]
Jill Thompson é uma roteirista e ilustradora americana, nascida em 20 de novembro de 1966 em Forest Park, Illinois. É bastante conhecida pelos fãs de quadrinhos pelos seus trabalhos em "Pequenos Perpétuos", "Mulher Maravilha", "Os Invisíveis", "Monstro do Pântano", Minha Madrinha Bruxa e "Beasts of Burden". Em sua carreira já ganhou 3 vezes Prêmios Eisner, foi nomeada pelo National Cartoonist Society como "Melhor Artista de Quadrinhos" por seu trabalho em Beasts of Burden e ganhou o prêmio de melhor .

Ilustrações
Ilustração de Minha Madrinha Bruxa
Imagem extraída das páginas 194 e 195 do quadrinho Minha Madrinha Bruxa.
As ilustrações de Jill têm características marcantes, o trassado, a pintura aquarelada cheia de técnica e de vida e o excelente uso de luz e sombras são sem dúvidas umas delas. Seu estilo é uma espécie de cartoon estilizado visando o cômico e o excêntrico, o que combina muito bem com o estilo de pintura. Todas as cores desse quadrinho são bastante chamativas e as cores verde, roxo, preto e laranja predominam, criando uma atmosfera ideal para o Halloween. Todo o quadrinho foi ilustrado a mão de forma tradicional.

Se gostaram desse post, sugiro que leiam também uma postagem sobre outra HQ que a Jill ilustrou:

Bom pessoal, é isso. Espero que tenham gostado da postagem. Mas, eaí, já ouviram falar de Minha Madrinha Bruxa. Já leram esse quadrinho? Já leram alguma coisa desse autora? Sim? Não? Comentem aqui em baixo!
Continue lendo

© Toca da Lebre – Desenvolvido com por Iunique